WORKSHOP

Psicanálise

Quais os passos para começar na carreira psicanalítica? Nessa série o prof. Luís Henrique Novaes trata em detalhes desse processo. Acompanhe conosco!

1.logo Programa Psicanálise
youtube-video-thumbnail

Aula 2

O 2º Pilar da Formação Psicanalítica

Nesta aula é apresentado o 2º pilar do tripé da formação do psicanalista. Caso tenha interesse em saber mais sobre o trabalho do psicanalista e como se tornar um, assista a 1ª aula e a próxima!

51 comentários em “Workshop de Psicanálise | Aula 2”

  1. Walter Garcez Filho

    Moro em uma comunidade Terapêutica. Sou um adicto por álcool,
    No meu tratamento fui contemplando com atendimento psicanalítico, assim que
    fiquei apaixonado por essa descoberta.
    O nível de autoconhecimento por esse método, só agregou.

    1. Viviane Mendes de Andrade

      Professor Luís Henrique é um filósofo seus apontamentos chegam a ser constrangedor de tanto que nos leva a adentrar o que queremos deixar escondido.É doloroso, intenso e belo, libertador.O que me seduz é a escuta amorosa e a cientificidade terapêutica que reza a cartilha psicanalítica.

  2. Ana Marillia de Souza

    O fator análise pessoal é o que me encanta na psicanálise, o alargamento nas visões de si mesmo e a capacitação de si mesmo com o seu próprio inconsciente. Fantastico!!

    1. Maria Helena de Sousa Lima

      Com certeza o análise pessoal é um ponto muito importante para que o desenvolvimento do trabalho com o outro tem fluência.

      1. Luciane da Silva Pereira

        As descobertas sao cada vez mais incriveis, trazendo a consciência tudo que precisa ser superado: pânico, traumas, ansiedade, medos, perdas etc.
        Venho estudando a mente e cada dia me apaixono. E acabo também me beneficiando para o meu próprio auto-conhecimento.
        Gratidão!

  3. César Samblas Boscolo

    A análise pessoal é fascinante; as descobertas efetuadas através da livre associação, trazem à tona muito o que ser superado: fobias, traumas, medos, etc.
    Venho estudando psicanálise já há um tempo, e adoro os temas abordados. Bem como para o meu próprio auto-conhecimento.
    Abraços a todos!

    1. E algo que nos fasina é uma bordagem do alto conhecimento que atentamos é traz os traumas que muitos pacientes desconheci de si próprio.
      E para mim que quer se aproximar da psicanálise eu acabo me descobrindo quem eu deixei de ser para ser algo que não sou .
      A psicanálise nos desata do nosso próprio Eu.
      Parabéns até a próxima

  4. Conhecer a si e conhecer o outro. A analise pessoal e importante para entender o processo da psicanalise. O outro, humano, diante do seu dilema busca na clinica o profissional preparado para continuar sua vida com tranquilidade.

    1. Osvaldo ferreira dos Santos filho

      Conhece a si mesmo, ántes de analisar o outro é exencilmente, fundamental para dar segurança ao analista em relação ao analisando, em uma abordagem. Todavia, a pisicanalise, tem me ajudado a compreender alguns comportamentos do meu inconsciente que outrora, eu não compreendia. Portanto, o Instituto Esfera e seus colaboradores estão de parabéns!!

  5. Na primeira aula (Primeiro Pilar) aprendi a importância dos Seminários Teóricos Clínicos; como é importante nos conhecer. E os Caminhos para se tornar um psicanalista.
    Na segunda Aula: A Formação Psicanalítica – Aprendi sobre Análise Pessoal de Informação e sua importância. E com o depoimento do Psicanalista Dr Alessandro, que nos demonstra o quão é transformadora a Psicanálise.

  6. ANDREA GONZALEZ DE JESUS QUEIROZ

    Terapia é vida! Desde a escola a vida adulta d principalmente aos idosos, a análise é essencial para o bem estar e saúde mental e não seriam os psicanalistas a se eximir dessa pratica até para manter-se bem diante dos atendimentos que faz pois é una troca de energia consideração entre analisando e terapeuta Fantástica aula !

  7. Muito interessante a importância de se conhecer para poder ajudar. Creio que todos nós precisamos de um psicanalista.
    Cada dia mais interessado e convicto que é isto que quero para mim, na intenção de ajudar a muitos

  8. Ana da Consolação de Oliveira

    O psicanalista que atua em clínica particular, necessita estar associado a alguma instituição, como médicos, advogados e outras profissões exigem? Alguma licença para atuar?
    Obrigada pela aula, sempre acrescenta no sentido de conhecimento, que estão me ajudando a me entender um pouco mais.

    1. Olá Ana! Espero que esteja bem!
      Respondendo à sua questão: Não. Não é necessário afiliar-se a nenhuma associação ou conselho para atuar como psicanalista! Isso porque a Psicanálise não é uma profissão e sim um ofício livre, conforme o Código Brasileiro de Ocupações. Veja minha resposta no Instagram: https://www.instagram.com/p/Cv2TpFgunX8/

  9. Nilmara Emanoela Gomes

    Fui submetida durante 20 anos ao divã. Experiência que perpetua hoje em todos os setores da minha vida e envolvendo às pessoas do meu convívio. Sou artista, dramaturga e professora de teatro, atuo há 28 anos no setor. A psicanálise como ferramenta nos três âmbitos da minha profissão é realmente um suporte agregador em todos os sentidos.

  10. Cynthia Rúbia Braga Gontijo

    Olá!
    Eu já sabia que qualquer profissional, com formação na área, pode atuar como psicanalista. Contudo, duas questões, em especial, me perturbam: 1) como garantir um atendimento ético junto á pacientes com angústias e etc das mais diversas com uma formação tão breve; 2) como lidar com os preconceitos de categoria. Afinal, quem busca atendimento na área, em geral, busca por psicólogos e médicos.
    Abraços, Cynthia.

  11. Freud (1919/1974), no texto Sobre o Ensino da Psicanálise diz o seguinte:

    É indubitável que a incorporação da psicanálise ao ensino universitário significaria uma satisfação moral para todo psicanalista, mas não é menos evidente que este pode, por seu lado, prescindir da Universidade sem menosprezo algum para sua formação. Com efeito, a orientação teórica que lhe é imprescindível ele a obtém mediante o estudo da bibliografia respectiva e, mais concretamente, nas sessões científicas das associações psicanalíticas, assim como pelo contato pessoal com os membros mais antigos e experimentados das mesmas. Quanto a sua experiência prática, fora aquela adquirida através de sua própria análise, poderá alcançá-la mediante tratamentos efetuados sob controle e guia dos psicanalistas mais reconhecido. (p. 251)

    O texto de Freud enfatiza a autonomia na formação psicanalítica e a importância do estudo independente, interação com pares e supervisão clínica. E como não se apaixonar por essa pessoa, suas idéias, seus livros. Obrigada por esse estudo.

  12. O analista atua como uma espécie de guia à nossa auto compreensão. Do mesmo modo, quem analisa também tem a oportunidade de analisar a si mesmo, espelhando as questões propostas pelo analisando. Num certo nível, o analista também acaba se tornando analisando na dinâmica de auto conhecimento. A auto análise é essencial para a construção de uma compreensão dos efeitos das relações na formação da própria personalidade. Além disso, a análise do outro nos permite perceber nuances de nossa personalidade, antes mantidas na sombra, que nos auxiliarão na análise de nós mesmo, enquanto indivíduo, e na análise do paciente. Através do auto conhecimento é possível detectar aspectos semelhantes nas relações dos analisandos, facilitando a percepção e enfrentamento dessas sombras, no sentido de trazê-las à luz do entendimento, para o melhor tratamento e resoluções mais satisfatórias. Acredito que o processo é benéfico para os dois lados.

  13. Rodrigo Azevedo Gomes

    Para ser Psicanalista, sem dúvidas, analise pessoal, teoria e supervisão pelo resto da vida, ainda bem que não precisa curso superior, aqui no Rio Grande do Sul, os Psicanalistas são muito chatos e as escolas não aceitam quem não tenha curso superior, até para participar das aulas. Absurdo!

  14. Essa aula foi esclarecedora. Deixa claro a importância do sujeito estar em relação com seu próprio inconsciente, para depois se aproximar do inconsciente do outro. Encantador.

  15. Ana Paula Zorzatto Mazalli

    Acredito que a análise pessoal é fundamental no processo de crescimento na clinica. Teoria é importante, mas o verdadeiro aprendizado adquirimos na vivência prática, em análise.

  16. JOSE ADRIANO BARRETO BATISTA

    Realmente é encantador entrar no ujniverso da alma e mente humana para compreender as suas complexidades e de modo a tomar decisões e estabelecer ações para resolver e lidar com questões delicadas do comportamento.É o autocnhecimento que nos ajuda a libertar da escuridão do mundo da mente e esse e possivel atraves da PSICANÁLISE.

  17. Luciano da Silva Batista

    A cada matéria, vídeo ou palestra que participo sobre psicanálise só aumenta a minha certeza do caminho que estou buscando. E a preocupação em estar bem para ajudar o outro a ficar bem.

  18. Interessante, essa questão da análise. Porém, no caso do psicanalista , que está atuando, tem que está em análise? Há um tempo determinado?

  19. Assistindo esse segundo vídeo puder entender a necessidade da análise pessoal onde posso extrair a experiência em cima mesma .
    através da análise e capacidade de escuta e observação na interpretação do analista .
    E com isso um desenvolvimento pessoal.
    Parabéns 👏

  20. Rosangela da Câmara Teixeira

    Estou cursando o 7 período em Filosofia e a formação em psicanálise veio como um presente. Faço filosofia a distância e por várias vezes senti falta de um professor presencial.
    Existe uma forma de sanar dúvidas com os tutores?

  21. Daiane Carine Klein

    Fiquei pensando na relação direta entre a transferência e a análise pessoal. O quanto é importante conhecermos a nós mesmos, como pessoas e como analistas, a fim de que saibamos utilizar os instrumentos da psicanálise da melhor forma.

  22. Daiane Carine Klein

    Já vi cursos em psicanálise que não contemplam a análise pessoal, a qual considero também fundamental para a formação. Muito bem colocada e esclarecedora a colocação da sua importância no vídeo acima.

  23. Daiane Carine Klein

    Muito bem colocada e esclarecedora a colocação da sua importância da análise pessoal, tanto para a prática profissional quanto desenvolvimento pessoal.

  24. É tão bom ver como os cursos vão se adequando as necessidades atuais de quem pretende ampliar os conhecimentos mas não tem a disponibilidade para o presencial.

  25. Luciano José Alvarenga

    O Dr. Luís Novaes demonstra a importância da prática psicanalítica, a partir do “conhecer a si mesmo”, “do alargamento da visão acerca de si mesmo”, na formação do profissional em Psicanálise. Foi interessante nesta 2ª aula, também, o relato testemunho de um entusiasta da formação e da profissão em Psicanálise.

  26. Frutuoso de Oliveira Neto

    O Dr Luiz demonstra muito conhecimento em psicanálise e em outras áreas no processo de formação n análise didática na formação do psicanalista.

  27. Saber que trabalhar com psicanálise sem precisar ser psicólogo foi uma porta que se abriu para o meu futuro profissional. Sou sociólogo de formação e tinha uma tendência a pensar o indivíduo e suas capacidades e males diante de suas experiências sociais.

  28. Importante saber que todo psicanalista precisa passar por análise pessoal para compreender seu inconsciente, sua cura e a partir disso seguir para a prática profissional.

    1. Sou afeta aos preceitos da psicanálise desde remota data, me envolvendo sistemática e perifericamente a dez anos. E hoje, já em final de carreira acadêmica-universitária (como cientista social), semelhante ao realizado pelo nosso expositor convidado, Alessandro Alves, eu intenciono me dedicar de forma coerente nessa “apaixonante jornada”. Tenho vontade de ajudar a tantos quantos e como possível seja. Observo que essa busca no universo psicanalítico agregou sobremaneira na minha transformação pessoal contínua e que ainda tem muito a determinar, obviamente. Agradeço os excelentes ensinos dessa aula. Saudações!

  29. ROSIANE SILVA SANTOS CANAVARRO.

    A forma de abordagem de vocês para o convite a estudar psicanálise é muito interessante. Pois primeiro trouxeram entendimento do que é e como é, assim como permitiram anteriormente com aulas disponíveis e grátis para que o interessado (ou até talvez não interessados), conheça, entenda,perceba e se envolva com os estudos, conhecimentos, para realmente decidir e tomar posse de uma profissão que também pode ser sua.

  30. MILENI DE CASSIA OLIVEIRA AMADOR

    Nossa! Sempre gostei da psicalise, agora com o curso, amando. Embora sendo pedagoga e psicopedagoga. Eu gostaria muito de fazer uma segunda graduação em psicologia, mas ainda consegui. E a psicalise agora chega pra mim como prioridade.

  31. Considerei muito significativa a experiência do relato do Sandro, nesta apresentação, formando- se como psicanalista, deixando o meio empresarial para autoconhecimento e de trabalho, ajudando ao próximo.

  32. Cleilson Calvet Silva

    O processo de escuta é fundamental para o psicanalista. A relação do sujeito com seu próprio inconsciente o conhecer-se é primordial

  33. A extrema necessidade da analise do estudante visando obliterar possíveis enganos que tenha com a formação é de todas as etapas o limiar entre o vocacionado e o comovido pelo animo efervescente; os sentidos do analista embebidos em grave silêncio divisam as duas faces do desejo e suas motivações.

  34. Vanessa dos Santos Assis Pereira

    Achei muito interessante a possibilidade de ter aulas de formação em Psicanálise a distância.
    Não sei se desejo ser psicanalista, mas muito me interessa o autoconhecimento.

  35. Sandra Regina Pontes da Silva

    A análise pessoal na psicanálise é um componente essencial na formação de psicanalistas. Ela permite que o profissional explore seu próprio inconsciente, compreendendo melhor seus conflitos internos e manifestações do inconsciente1. Freud enfatizou a importância da análise pessoal como uma forma de o psicanalista se manter sensível às nuances da mente humana e assim poder oferecer uma escuta mais atenta aos seus pacientes1.

    Durante a análise pessoal, o psicanalista em formação é encorajado a falar livremente sobre seus pensamentos, sentimentos e preocupações, enquanto um analista mais experiente o ajuda a interpretar e entender suas experiências e emoções2. Este processo não só contribui para o autoconhecimento do psicanalista, mas também o prepara para lidar com as transferências e projeções que podem ocorrer durante as sessões com os pacientes1.

    A análise pessoal é, portanto, um pilar fundamental no tripé da psicanálise, que inclui também a supervisão e a teoria2. Ela é vista como uma ferramenta indispensável para o desenvolvimento profissional e pessoal do psicanalista, permitindo-lhe exercer sua prática com maior profundidade e empatia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *